menu
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.

Como o gin ganhou a preferência na noite brasileira?

Fernando Moraes/UOL
Imagem: Fernando Moraes/UOL

Luciana Mastrorosa

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/04/2018 04h00

Depois de conquistar os jovens descolados europeus, principalmente na Espanha, o gin parece ter arrebatado a preferência também dos brasileiros. Pesquisa realizada pela agência Llorente & Cuenca, encomendada pela Baccardi, aponta que o gin é o destilado preferido entre os brasileiros das classes A e B, superando o uísque e a vodca. A bebida, criada na Holanda e popularizada na Inglaterra, foi citada por 34% dos entrevistados*.

Vários drinques clássicos – do Dry Martini ao Negroni – levam o destilado, que tem como diferencial ser aromatizado com uma mistura de especiarias, em particular o zimbro. O mixologista Jean Ponce, do Guarita Bar, em São Paulo, é um dos entusiastas do gin. Para ele, o sucesso atual da bebida se deve à mudança no cenário gastronômico no Brasil, em particular na última década. "Hoje, todo mundo reconhece a gastronomia brasileira e sabe identificar bons produtos. A coquetelaria pegou carona nisso e temos uma leva de coquetéis clássicos e contemporâneos, a maioria feita com gin", diz.

Márcio Silva, do paulistano Guilhotina, concorda com o colega. "Estamos ganhando uma maturidade gastronômica geral. Hoje a gastronomia brasileira está em evidência no mundo inteiro, e o brasileiro começa a despertar para diferentes gostos. O gin é um deles”, acredita.

Até o clássico gin tônica foi revisitado: em vez de ser servido em copo longo, como se fazia antes, agora os aromas da bebida e diferentes ingredientes são valorizados em taças maiores e bojudas. "A vantagem do gin é que ele continua sendo uma bebida neutra, como a vodca, mas com infusão de ervas, com algum toque a mais. Cada marca tem seu perfil, algumas colocam rosas, outras, açafrão, pepino, hibisco", lembra Marcio.

Os consumidores têm aprovado essa redescoberta da bebida. A administradora Juliana Ferrarezi, de 32 anos, gosta de drinques com gin porque, além do sabor, não causa o estufamento típico da cerveja. O estudante de Direito João Pedro Tavares da Silva, de 20 anos, também frequenta o Guarita e é um grande fã de gin, que descobriu ao pesquisar mais sobre a mixologia. "Provei alguns coquetéis diferentes e acabei apegado aos drinques com gin, hoje sempre faço em casa".

Passo a passo

O mixologista Jean Ponce ensina o passo a passo do Vá de Táxi, drinque com gin, calda de pepino, melancia, algas e flor de sal:

Gin
Faça um Vá de Táxi em casa
Imagem: Fernando Moraes/UOL
 Vá de Táxi

Por Jean Ponce, do Guarita Bar

Rendimento: 1 coquetel

Ingredientes:

50 ml de gin com folhas de limão e melancia

20 ml de calda de pepino

1 folha de alga

1 pitada de flor de sal

70 ml de água tônica ou o suficiente para completar

Gelo quanto baste

Modo de preparo:

Em 50 ml de gin, infusione 2 folhas de limão e 6 fatias finas e pequenas de melancia. Reserve. Faça uma calda fervendo meio litro de água com um quilo de açúcar. Ferva e mexa por 10 minutos. Quando o açúcar diluir totalmente, tire a calda do fogo e leve à geladeira até ficar em temperatura ambiente. Separe 500 ml dessa calda de açúcar e bata no liquidificador com 3 pepinos. Coe e reserve. Na hora de preparar o drinque, coloque o gin coado, a calda de pepino e o suco de limão em um coqueteleira e bata com gelo. Coe num copo longo com gelo e complete com a tônica. Finalize com a folha de alga e a flor de sal. Sirva em seguida. Guarde a calda de pepino na geladeira se não usar na hora para fazer os coquetéis.

Se seu negócio não é preparar, mas apenas beber, veja onde provar bons coquetéis à base de gin:

Rubens Kato/ Divulgação
O Acônito, do Seen, leva gin Tanqueray, licor Strega, suco de limão siciliano, xarope de açúcar e espumante Imagem: Rubens Kato/ Divulgação

Em São Paulo

Guarita Bar

No balcão desse bar descolado, em Pinheiros, a coquetelaria reforça o uso de ingredientes brasileiros. Além do gin, Ponce também usa a Tiquira, um destilado artesanal de mandioca, e bitters de madeiras brasileiras e café.

Vai lá: Rua Simão Álvares, 952, São Paulo. Telefone: (11) 3360-3651


Guilhotina Bar

Também em Pinheiros, o Guilhotina apresenta carta de coquetéis recheada com as criações de Márcio Silva. O drinque batizado de "50 tons de Grey" leva gin Bombay Sapphire com chá Earl Grey, espumante seco, limão, açúcar demerara e especiarias.

Vai lá: Rua Costa Carvalho, 84, São Paulo. Telefone: (11) 3031-0955

Axado

Inaugurado em março, o Axado combina gastronomia de alto nível, com cardápio assinado pelo chef estrelado Joachim Koerper, a coquetéis contemporâneos e de muita personalidade criados por Rodolfo Bob. Para acompanhar as pork ribs ou o bolinho de bacalhau, peça o Chinese Xsmash, com gin infusionado com chá lapsang souchong (com notas de defumado), manjericão roxo, calda de hortelã, especiarias com sal marinho e mix cítrico.

Vai lá: Rua Deputado Lacerda Franco, 478, São Paulo. Telefone: (11) 3819-1304

Le Jazz Petit

O irmão mais novo do Le Jazz Pinheiros serve bons drinques e petiscos com sotaque francês na movimentada calçada da rua dos Pinheiros. Enquanto saboreia um camembert empanado ou um sanduíche de leitão crocante, prove o Aviation, que leva gin, licor Maraschino, licor de violetas, suco e twist de limão.

Vai lá: Rua dos Pinheiros, 262, São Paulo. Telefone: (11) 2359-8141

Boca de Ouro

Num pedaço tranquilo da rua Cônego Eugênio Leite, o bar Boca de Ouro acerta com a combinação de coquetéis bem executados e petiscos na medida, como torresmos e bolovo. Arnaldo Hirai, ex-jornalista, é o responsável pelos drinques (e a trilha sonora). Prove o Hanky Panky, com gin, vermute tinto e fernet branca, e o Fitzgerald, que combina gin, limão siciliano e angostura.

Vai lá: Rua Cônego Eugênio Leite, 1121, São Paulo. Telefone: (11) 4371-3933

Majestic Drinks

Com nome de cinema antigo, este bar na Vila Madalena é um bom lugar para tomar um drinque clássico com gin, como o Negroni, que combina o destilado com Campari, vermute e tônica. Os coquetéis são simples e bem executados e o comando do bar fica por conta do bartender Neto Oliveira, o Netinho, mesmo dono do Paramount.

Vai lá: Rua Delfina 130, São Paulo. Telefone: (11) 3031-3745

Peppino Bar

Para curtir "la dolce vita", o Peppino é um bar italiano no Jardim Europa, com comida e coquetéis que refletem essa gastronomia. Para comer, vá de pizzetas e polpettone. E, para beber, refresque o paladar com o Spring Lemon, com gin, maçã verde, capim-santo, limão siciliano e tônica.

Vai lá: Rua João Cachoeira, 175, São Paulo. Telefone: (11) 3368-6863

Tan Tan Noodle Bar

Lámen e gim combinam? Sim! Em uma casa disputadíssima em Pinheiros, o Tan Tan oferece excelentes tigelas de macarrão ensopado ao estilo japonês (chamado de lámen ou rámen), os carros-chefes da casa, além de petiscos orientais, como gyoza e pork bun. Dentre os coquetéis autorais e releituras, o Ray Brown é uma interessante mistura de gin, tintura de cardamomo, angostura e limão.

Vai lá: Rua Fradique Coutinho, 153, São Paulo. Telefone: (11) 2373-3587

Seen

Instalado na cobertura do Hotel Tivoli, na região da avenida Paulista, o Seen é o lugar perfeito para saborear um drinque bem executado enquanto aprecia a vista da cidade. O Martini Seen combina gin Plymouth a dry vermute e pimenta de cheiro. Outra boa pedida é o Acônito, com gin Tanqueray, licor Strega, suco de limão siciliano, xarope de açúcar e espumante.

Vai lá: Alameda Santos, 1437, São Paulo. Telefone: (11) 3146-5923 

Frank Bar

Outro excelente bar de hotel, o Frank, no lobby do Maksud Plaza, convida a um drinque (e depois mais outro) em uma atmosfera classuda e elegante. O Dry Alaska é para os fortes, com gin Beefeater 24, elixir vegetal, Fernando de Castilla classic manzanilla, folha de oliveira, tintura adstringente e bitters de laranja, especial para aqueles momentos em que se quer relaxar de verdade na happy hour.

Vai lá: Maksoud  Plaza Hotel. Rua São Carlos do Pinhal, 424, São Paulo. Telefone: (11) 3145-8000 

No Rio de Janeiro

Astor

O bar Astor, em Ipanema – sucesso também em São Paulo –, apresenta uma boa carta de drinques com versões diferentes de gin tônica. O Rose Cucumber leva gin, tônica, bitter Burlesque, casca de pepino e pétalas de rosas. Para uma pegada mais intensa, prove o Pine Basill, assinado pelo bartender Frajola, do SubAstor, de São Paulo, com gin, tônica, abacaxi desidratado e manjericão roxo. A versão com caju também é deliciosa.

Vai lá: Avenida Vieira Souto, 110, Rio de Janeiro. Telefone: (21) 2523-0085

Nosso

Também em Ipanema, o Nosso oferece coquetéis impecáveis com a assinatura do mixologista Tai Barbin (ex-Bar D'Hotel). Além de tradicionais gin tônicas (também em versão míni), a carta tem boas opções como o Don Juan, com gin, grapefruit, manjericão, gengibre e limão siciliano.

Vai lá: Rua Maria Quitéria, 91, Rio de Janeiro. Telefone: (21) 99619-0099

Em Belo Horizonte

Savá Café & Pub

No descolado bairro de Savassi, o Savá tem bons coquetéis e também entrou na onda do gin. Peça um gin tônica clássico para acompanhar os bons hambúrgueres e as batatinhas crocantes e douradas do pub, de ambiente bem descontraído e moderno.

Vai lá: Avenida Cristovão Colombo 282, Belo Horizonte. Telefone: (31) 3261-6392

* Não se esqueça: Beba com moderação! E, se beber, não dirija

Mais Cultura e lazer