menu
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.

Volta do Cordel do Fogo Encantado promete incendiar Circo Voador

Tiago Calazans/Divulgação
Cordel do Fogo Encantado Imagem: Tiago Calazans/Divulgação

Kamille Viola

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

26/04/2018 04h00

Foram sete anos, um número um tanto quanto cabalístico, até que o Cordel Encantado resolvesse se reunir com a formação original. Ao longo de 2017, em segredo, o grupo compôs parte do repertório de "Viagem ao Coração do Sol", seu quarto álbum, que também contou com músicas há muito guardadas. Produzido por Fernando Catatau, o disco foi lançado no início de abril e levou a banda pernambucana de volta à estrada para divulgar o trabalho — a estreia foi em Salvador, no último dia 21, e neste sábado (28) o show chega ao Rio, no Circo Voador, com abertura do grupo Tagore.

O anúncio oficial da volta do Cordel veio em fevereiro de 2018, depois de muita especulação. "Sentimos que era o momento de sairmos de nossos casulos e retomarmos a jornada em direção ao sol. A partida de Naná Vasconcelos [morto em 2016, o percussionista produziu o primeiro trabalho do grupo, de 2001] soou como um chamado ao reencontro. Além disso, a energia dos fãs que nunca deixaram a chama se apagar foi muito importante", comenta o vocalista Lirinha, que forma o grupo ao lado de Clayton Barros (voz e violões), Nego Henrique (voz e percussões), Emerson Calado (voz e percussões) e Rafa Almeida (voz e percussões).

Nascida a partir de um espetáculo teatral, a banda da cidade de Arcoverde, no sertão pernambucano, ficou famosa por suas performances incendiárias, que uniam poesia e música com forte carga dramática. A volta era aguardada pelo público há tempos. "Recebemos mensagens de apoio muito carinhosas que nos emocionam diariamente. Tem aqueles que já conhecem e já viram shows, e outros que já ouviram e nunca assistiram ao vivo, são reações das mais diversas e de muita energia positiva", comemora Lirinha.

A estreia da turnê de "Viagem ao Coração do Sol", em Salvador, foi recebida com entusiasmo e contou com uma homenagem à vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio de Janeiro há pouco mais de um mês: a nova "Conceição ou do Tambor que se Chama Esperança" foi dedicada a ela. Sucessos antigos, como "Ai Se Sêsse" e "Chover" fizeram o público soltar o coro há tanto entalado na garganta. "Foi incrível! Recebemos o primeiro impacto das pessoas durante e pós-show, foi muito emocionante. Estar no palco é muito gratificante e muito nos ajuda a seguir em frente", diz o vocalista.

Vai lá:

Cordel do Fogo Encantado

Abertura: Tagore

Quando: 28 de abril, às 22h (abertura dos portões)

Onde: Circo Voador – Rua dos Arcos, s/nº, Lapa, Rio de Janeiro

Quanto: R$ 50 (meia-entrada solidária, com 1kg de alimento) e R$ 100

Mais Cultura e lazer