menu
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.

Nove trapalhadas clássicas dos bikers de primeira viagem

Shutterstock
Imagem: Shutterstock

Luiza Sahd

Colaboração para o UOL

08/05/2018 12h42

Quer dizer então que você finalmente decidiu fazer seus trajetos urbanos de bike? Muito bem. A gente sabe que essa é uma excelente escolha em termos de saúde física -- e ambiental -- sempre e quando você está atento às medidas de segurança para enfrentar a selva de pedras em duas rodas. O que a gente nem sempre sabe quando começa a pedalar é o seguinte:

1- Chuvas acontecem.
Pois é. E às vezes, bem no dia em que você está no meio do caminho, usando roupas claras e vira acidentalmente alguma coisa parecida com as gatas da camisa molhada dos anos 1990. Ficar molhado é chato sempre, mas pedalar praticamente de topless é um pouco mais. Tenha isso sempre em mente.

2- Tempestades também acontecem.
Para além do inconveniente da "brusinha", existe um motivo bem importante pelo qual os bikers experientes colocam para-lamas nas rodas e o próprio nome já revela o motivo. Quem sai pedalando sem ele pela chuva (ou por poças pós-chuva) acaba descobrindo da forma mais amarga que a própria canela vira um ímã de água suja.

3- Profissionais de trânsito podem se irritar com bikers.
Toda regra tem suas exceções, mas por alguma razão misteriosa, boa parte das pessoas que trabalham como motoristas no trânsito metropolitano se incomoda especialmente na presença de ciclistas (como se estivéssemos nos divertindo nas ruas enquanto eles trabalham, e não nos deslocando, simplesmente). Discussões sobre o tema à parte, tenha atenção redobrada ao interagir com motoristas apressados.

4- Cachorros também.
… E não adianta discutir -- nem com pessoas estressadas e muito menos com cães estressados. Sorria e continue pedalando, tentando não morrer.

5- Biker chic?
É muito bonito de ver aquele pessoal pedalando todo arrumadinho, superelegante e com a roupa passadinha. O mistério que não quer calar é como eles chegam de look intacto ao destino. Se você faz trajetos longos, não tente isso em casa.

LEIA MAIS

6- Nem toda ladeira parece ladeira.
Assim como não acontece com tudo o que reluz e etc, aquela rua que parece só uma reta tranquila na sua rota pode tirar o seu fôlego sem motivo aparente. As ruas levemente inclinadas por trechos longos cansam bastante! Um caso clássico é o da Rua dos Pinheiros, em São Paulo (SP). Teste sempre os seus trajetos -- e tenha consciência das suas limitações físicas enquanto não estiver acostumado ao caminho.

7- Adeus, happy hour!
Quando você começa a pedalar, vai chegar o fatídico dia (ou noite) de encontrar uma turma de surpresa, tomar aquela cervejinha e ter que voltar ao local do crime no dia seguinte para buscar a bicicleta, já que bebida e direção não combinam em hipótese alguma -- e de bicicleta, menos ainda.

8- "Estacionamento" é questão-chave para um passeio feliz.
Por incrível que pareça, muitos edifícios não permitem que visitantes deixem suas bicicletas dentro do prédio quando vão subir para ver um amigo, por exemplo. Sempre que possível, tente descobrir onde estacionar a bike antes de sair de casa (inclusive para não ter de entrar no apê de bike no lombo -- baseado em fatos reais!).

9- Pode doer.
A gente sempre torce para não protagonizar Videocassetadas pela rua e voltar inteirinho para casa quando sai de bike, mas nem toda dor do processo inicial vem de tombos. Se você era sedentário antes de adotar a bike como transporte, prepare-se para ficar com as pernas todas boas, mas não sem antes enfrentar dores musculares. Faça aquecimento, alongamento, mas não desista. Depois que acabam, as trapalhadas sempre parecem mais engraçadas.

Mais Cultura e lazer