menu
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.

Girl power: aprenda a fazer o drinque Kátia, com cachaça, limão e angostura

Divulgação
Drinque Kátia, do Eugênia Café Bar Imagem: Divulgação

Luciana Mastrorosa

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

27/07/2018 04h00

No início do mês, o boêmio bairro de Pinheiros ganhou mais um bar, desta vez inspirado e dedicado completamente às figuras femininas: o Eugênia Café Bar. Com carta de drinques autorais e clássicos, o espaço reúne diversos ambientes, com gastronomia, café, exposições e shows.

Como não poderia deixar de ser, é uma mulher que comanda o bar, um respiro interessante numa área dominada pelos homens. "O Eugênia tem essa pegada de feminismo, recebeu esse nome em homenagem à Eugênia Moreyra, considerada uma das primeiras feministas do Brasil", diz a bartender Flávia Suppi, ex-Riviera Bar. "Mas é claro que estamos abertos para todo tipo de público, que é o mais variado possível, afirma.

A primeira carta foi assinada pelo mixologista Paulo Lima, com nomes inspirados em mulheres e na mitologia feminina. Hoje, esses coquetéis estão sob os cuidados integrais de Flávia e, de suas mãos, saem drinques como o Kátia, com cachaça, limão, alecrim e gotas de angostura, com pegada mais refrescante. O Eugênia leva gin, orange bitter artesanal, angostura e grenadine. Para os fãs dos clássicos, estão lá também o Dry Martini, o Negroni e o Manhattan, entre outros. "Acho a coisa mais legal do mundo quando chega uma mulher aqui no bar, senta e pede um Dry Martini, que é super parrudo, depois de um dia de trabalho", diz a bartender, que não vê diferenças entre as preferências masculinas e femininas em torno dos coquetéis, ao contrário do que muitos ainda imaginam.

Além das bebidas alcoólicas, o Eugênia tem também boas opções de cafés especiais, sob o comando da barista Paula Chang. Para comer, o menu assinado pela chef Isabela Cordaro traz opções variadas e atendem a um gosto amplo. O pãozinho de tapioca, feito sem glúten, é um dos mais pedidos para dividir, e acompanha tapenade de azeitonas. O sanduíche vegetariano agrada os não carnívoros, servido no pão de fermentação natural tostado com legumes assados, muçarela de búfala, rúcula e homus de beterraba. Para os amantes de carne, vale provar o sanduíche de ragu de costela na ciabatta com tomate confit e rúcula, que vale por uma refeição.

Aprenda a fazer

Kátia, do Eugênia Café Bar

Ingredientes:
60 ml de cachaça de boa qualidade
20 ml de xarope de açúcar
1 colher (café) de ácido cítrico (à venda em mercados municipais)
30 ml de clara de ovo (de preferência a clara pasteurizada)
1 zest de limão siciliano
5 gotas de Angostura Aromatic Bitters
1 ramo de alecrim
5 pedras de gelo

Modo de preparo:
Coloque a cachaça, o xarope, o ácido cítrico e a clara de novo numa coqueteleira e bata sem gelo (dry shake). Abra a coqueteleira, acrescente as pedras de gelo, e bata de novo, vigorosamente. Coe duplamente a bebida numa taça coupé previamente resfriada. Esprema ligeiramente o zest de limão siciliano para liberar os óleos sobre o drinque. Pingue as gotas de Angostura sobre a espuma e decore com ramo de alecrim. Sirva em seguida, bem gelado.
Dica: para o xarope de açúcar, misture partes iguais de água e açúcar lentamente (por exemplo, uma xícara de cada), até dissolver todo o açúcar. Se preferir, leve ao fogo baixo até aquecer, mas sem virar uma calda. Mantenha resfriado até a hora de usar.

Vai lá

Eugênia Café Bar
Rua Cônego Eugênio Leite, 953, Pinheiros, São Paulo – SP

Mais Cultura e lazer