menu
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.

Do samba à pizza: 19 atrações para redescobrir o Brás, em São Paulo

Vanessa Canoso / Divulgação
Museu da Imigração Imagem: Vanessa Canoso / Divulgação

Laíse Guedes

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

22/11/2018 04h00

Você sabia que a expressão "acabou em pizza" nasceu em uma cantina do Brás? Ou que, ao contrário do que diz a letra de "Samba do Arnesto", o Arnesto se chamava Ernesto e nunca chamou o Adoniran Barbosa para um samba? Andar pelas ruas desse tradicional bairro paulistano é relembrar essas e outras histórias inusitadas e cheias de personalidade da capital paulista.

Fundado por italianos, o Brás sempre foi ponto de encontro de estrangeiros: ali convivem comunidades italianas, árabes, bolivianas e nordestinas. Aliás, para conhecer bem o bairro, é preciso dar uma esticadinha também para os vizinhos Mooca, Bixiga e Barra Funda, onde as memórias muitas vezes se confundem.

Veja também:

Toda essa mistura de sotaques e sabores deu origem à popularidade do comércio, das feirinhas e dos mercados de rua e da gastronomia e arquitetura local. Para quem quer conhecer ou relembrar tudo isso de perto, reunimos abaixo 20 atrações e pontos históricos obrigatórios. Confira as dicas e bom passeio!

PARA CONHECER A HISTÓRIA E A CULTURA

Largo da Concórdia

Famoso pelo comércio, o Largo era conhecido como Praça do Brás e já abrigou uma feira de mulas, circos e parque de diversões. Ali também ficava o extinto Teatro Colombo, com a melhor acústica da cidade. Hoje o lugar ainda reúne pontos históricos, como o Monumento ao Migrante Nordestino, homenagem aos milhares de nordestinos que migraram para a cidade em busca de melhores condições de vida.

Casa das Retortas

Danilo Verpa / Folhapress
Vista aérea da Casa das Retortas, futuro Museu da História do Estado de São Paulo, no Brás Imagem: Danilo Verpa / Folhapress

Os lampiões a gás que iluminavam as vias públicas da São Paulo nas três últimas décadas do século 19 eram alimentados por esse complexo do Gasômetro, considerado uma das raras joias da arquitetura industrial da cidade. No momento, encontra-se em obras para abrigar o futuro Museu de História do Estado de São Paulo.

Vai lá:
Rua da Figueira, 77, Brás

Museu da Imigração

O prédio da antiga Hospedaria de Imigrantes, que recebeu 2,5 milhões de estrangeiros entre 1887 e 1978, abriga hoje o Museu da Imigração. Ali estão expostas relíquias de um passado marcado pela cultura cafeeira e industrial, além de um rico acervo digital. Segundo a atual cartografia da cidade, o museu fica na Mooca, mas historiadores afirmam que a Hospedaria surgiu à margem da ferrovia, no Brás.

Vai lá:
Rua Visconde de Parnaíba, 1316, Brás
Terça a sábado, das 9h às 17h.
Domingo, das 10h às 17h.
R$10 (inteira) e R$5 (meia-entrada); gratuito aos sábados.
Telefone: (11) 2692-1866

Trem Cultural dos Imigrantes

Já pensou em dar uma volta em uma legítima Maria Fumaça, sem sair da cidade? Dá para fazer este passeio em uma locomotiva original de 1922, que percorre, aos fins de semana e feriados, um percurso de três quilômetros. O trajeto começa na Estação Memorial, passa pela Mooca e, na volta, acaba na entrada da Estação Brás.

Vai lá:
Rua Visconde De Parnaíba, 1253, Brás
Sábado, domingo e feriados, das 10h30 às 16h.
R$ 20 a R$ 25.
Telefone: (11) 2695-1151

Museu Catavento

Um dos mais visitados da cidade por pessoas de todas as idades, o museu interativo ocupa o encantador Palácio das Indústrias, antiga sede da prefeitura. Dedica-se às ciências e proporciona diversas atrações lúdicas e educativas. No Catavento dá para fazer viagens (quase literais) pelo corpo humano, como caminhar por dentro da reprodução de um intestino, pelo universo e todos os seus planetas e estrelas, admirar coleções de borboletas e ser envolto por uma bolha de sabão gigante.

Vai lá:
Parque Dom Pedro II - Avenida Mercúrio, s/n, Brás
Terça a domingo, das 9h às 17h.
Nos feriados, consulte o site.
R$ 10 (inteira) e R$5 (meia); gratuito às terças.
Telefone: (11) 3315-0051

Samba da Alegria

O Brás, eternizado na melodia de "Samba do Arnesto", não poderia deixar de ter a sua própria roda de samba. Há nove anos, o Projeto Samba da Alegria realiza rodas que fariam Adoniran sentir orgulho de São Paulo.

Vai lá:
Rua da Alegria, 312, Brás
Segundo sábado do mês, às 16h. As datas do evento, no entanto, podem sofrer variações; vale a pena consultar os organizadores.
Telefone: (11) 98770-9704

PARA FAZER A FEIRA

Zona Cerealista

Gabriel Cabral / Folhapress
A Zona Cerealista é ótima para compras a granel. Imagem: Gabriel Cabral / Folhapress
A tradição do Brás na venda de produtos a granel vem desde o século 19, quando surgiram os primeiros armazéns na cidade. Conhecida como o "templo dos grãos", a Zona Cerealista está para as comidas naturais e orgânicas como a Rua 25 de Março está para as bijuterias.

Vai lá:
Rua Santa Rosa, Avenida Mercúrio, Rua da Alfândega e Rua Benjamim de Oliveira
O horário de funcionamento varia de acordo com cada loja. Em geral:
Segunda a sexta, das 6h às 18h.
Sábado, das 6h às 14h.
Algumas lojas abrem. também aos domingos e feriados.

Feira Boliviana

Danilo Verpa/Folhapress
Comércio de bolivianos na rua Coimbra, no Brás. Imagem: Danilo Verpa/Folhapress

É na rua Coimbra que a comunidade boliviana que vive na cidade se reúne para tomar uma Inca Kola (um refrigerante peruano amarelo, bem docinho) e matar a saudade de casa, sempre aos fins de semana. Vale conhecer os restaurantes de rua, como o Bolívia (Rua Coimbra, 160) e explorar os mercadinhos com produtos típicos, como milho de vários tipos, favas e cereais.

Vai lá:
Rua Coimbra, entre as ruas Bresser e Dr. Costa Valente, Brás
Sábado e domingo, das 15h às 21h.

PARA FESTEJAR

Festival Árabe

O Festival nasceu nas ruas do Brás para homenagear a cultura de países do Oriente Médio, como Líbano, Egito e Arábia Saudita, além de apoiar os refugiados sírios no Brasil. Nas tendas, é possível encontrar acessórios típicos, artesanatos e roupas, além de pratos como esfihas, tabule, kebab, doces e até café feito na areia -- técnica em que ele não é coado; os grãos com água são aquecidos em um pote de metal em uma panela com areia. A programação inclui apresentações folclóricas e de dança do ventre.

Vai lá:
O evento passou a ser itinerante e acontece o ano inteiro, com entrada gratuita. A próxima edição está prevista para 26 e 27 de janeiro de 2019, no Shopping D. Saiba mais aqui.

Festa do Imigrante

Que tal ir do Paraguai à Estônia em poucos passos? A tradicional Festa do Imigrante acontece há mais de 20 anos no espaço da antiga Hospedaria do Brás e reúne gastronomia, arte e música de mais de 50 países. Durante três dias, os visitantes podem assistir a apresentações artísticas e participar de oficinas de artesanato, como pintura de ovos com técnicas da Lituânia, por exemplo.

Vai lá:
Museu da Imigração - Rua Visconde de Parnaíba, 1316, Brás
Mês de junho.
Confirmar data, preço e horário de funcionamento quando o evento estiver mais próximo de acontecer.
Telefone: (11) 2692-1866

Festa de São Vito

A Paróquia São Vito foi fundada por imigrantes italianos em 1940 e hoje existem apenas três delas no mundo: uma em Polignano a Mare (Itália), outra em Praga (República Tcheca), e uma no Brás. Há 100 anos, a igreja celebra a festa de rua de São Vito Mártir, uma das mais tradicionais da comunidade italiana no Brasil. As mammas, senhoras entre 70 e 90 anos, preparam todas as iguarias típicas vendidas no evento.

Vai lá:
Rua Polignano A Mare, 255, Brás
Entre maio e julho.
Confirmar datas, preços e horários de funcionamento quando o evento estiver mais próximo de acontecer.
Telefone: (11) 3227-2296

PARA COMER E BEBER

Cantina Gigio

A tradicional cantina paulistana surgiu no coração do Brás ainda na década de 1970. Acolhedora, se tornou ponto de encontro das famílias que lotam a casa aos fins de semana. No cardápio, muitas massas, carnes, pratos fartos e molho abundante, como pede uma boa cantina italiana. Os mais pedidos são o filé à parmegiana (R$ 210) e o talharim verde ao molho de tomates frescos, manjericão, champignon e filé-mignon (R$ 199). Ambos os pratos servem quatro pessoas.

Vai lá:
Rua do Gasômetro, 254, Brás
Segunda a domingo, 11h30 às 23h.
Telefone: (11) 3313-7155/ 3313-5847

Cantina Castelões

Divulgação
Cantina Castelões é a pizzaria mais antiga em atividade na cidade Imagem: Divulgação
Há quem diga que foi aqui que surgiu a expressão "terminou tudo em pizza", após uma desavença entre jornalistas e dirigentes do Palmeiras que se resolveu com muito vinho, pizza e chope. A mais antiga pizzaria em atividade na cidade foi fundada em 1924 e desde então prepara uma das melhores pizzas à moda italiana, com direito a massa fina e bordas grossas. O carro-chefe é a pizza Castelões, à moda da casa (R$ 86).

Vai lá:
Rua Jairo Goes, 126, Brás
Segunda a domingo, das 12h às 16h e das 18h30 à 0h.
Telefones: (11) 94721-3355 / 99314-5400

Carlinhos Restaurante

Já provou um prato típico armênio? Esse é o forte da tradicional casa comandada pelos filhos do fundador Missak Yaroussalian, conhecido como Carlinhos, armênio radicado no Brasil. Não deixe de pedir o famoso arais (R$ 18,80), sanduíche de carne de kafta espalhada no pão sírio tostado. Também há opções de sanduíche de kafta com queijo (R$ 21,80), kafta com alho torrado (R$ 19,80) e o vegetariano (R$ 19,80), com zatar, queijo e tomate.

Vai lá:
Rua Rio Bonito, 1641, Pari
Segunda a sexta, das 11h30 às 15h.
Sábado, das 11h30 às 16h.
Fechado aos domingos.
Telefone: (11) 3315 - 9474

Abu-zuz

O sucesso da tradicional casa libanesa são os inusitados sanduíches (a partir de R$ 16). Na dúvida, prove os clássicos shawarma de frango, carne de boi ou linguiça síria (R$ 17,50) ou vá de quibe frito (R$ 6) ou assado (R$ 27). Entre vegetarianos ou quem não quiser comer carne, o lanche de falafel (R$ 16) é o que mais faz sucesso.

Vai lá:
Rua Miller, 622, Brás
Segunda a  sexta, das 7h30 às 17h30. 
Sábado, das 7h30 às 17h.
Telefone: (11) 3315-9694

PARA FAZER COMPRINHAS

Feirinha da Concórdia

Divulgação
Feirinha da Concórdia Imagem: Divulgação

Para quem chega ao Brás de metrô ou trem, a primeira galeria visível é a Feirinha da Concórdia -- o paraíso oficial das compras para ir além da famosa Feira da Madrugada. Aqui dá para encontrar desde jeans, vestidos e bijuterias, a tapetes e toalhas para a casa. A feira tem estacionamento, banheiros, fraldário, provadores e praça de alimentação.

Vai lá:
Feirinha da Concórdia
Rua do Gasômetro, 873, Brás
Segunda a sábado, das 5h às 15h.

Nova Feira da Madrugada
Avenida do Estado 2777, Bom Retiro
Segunda a sexta, das 2h às 16h.
Sábado, das 2h às 14h.
Não abre aos domingos.

Avenida Vautier

Conhecida como a "versão calma" da Rua 25 de Março, a avenida reúne ao longo de cinco quarteirões diversas lojas e shoppings com produtos variados, por um bom preço e sem o movimento da concorrente. O Shopping Vautier (Rua Tiers, 184), erguido no prédio da antiga fábrica da empresa de biscoitos Tostines, é considerado o maior complexo de compras popular da região, com mais de mil lojas.

Vai lá:
Avenida Vautier, Brás
Os horários de funcionamento variam conforme o estabelecimento.

Roteiro do jeans

O Brás possui uma infinidade de confecções próprias de jeans. Além de calças femininas na Rua Miller, ofertas no varejo podem ser encontradas em diversos pontos da Rua Oriente. As melhores lojas especializadas ficam na Rua Mendes Júnior, porém todas vendem somente atacado.

Vai lá:
Rua Miller, Rua Oriente e Rua Mendes Junior.
Os horários de funcionamento variam conforme o estabelecimento.

Roupas de grife

Sim, dá para comprar roupas de marcas famosas no Brás com preços mais baixos do que os cobrados em shoppings. A loja Woodloose (Rua Oriente, 724) vende roupas masculinas da Armani, Lacoste, Diesel, Ermenegildo Zegna e Hugo Boss. Também dá para garimpar bons produtos masculinos e femininos na loja Tom Multimarcas (Rua Bresser, 448).

Vai lá:
Rua Oriente e Rua Bresser
Os horários de funcionamento variam conforme o estabelecimento.

Mais Cultura e lazer