menu
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.


Festas à tarde para quem quer dormir cedo

Divulgação
A festa Soul.set já teve mais de 50 edições desde 2011 Imagem: Divulgação

Fernanda Carpegiani

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

05/01/2019 04h00

O cansaço chega cedo, os joelhos doem e às 22h você deseja estar no aconchego do lar, na sua cama. Estamos todos sujeitos a uma baixa no pique para virar a noite dançando. Claro que não existe regra e muita gente continua badalando até os 60 anos. Mas, mais cedo ou mais tarde, é preciso diminuir pelo menos a frequência e o ritmo das festas.

Se esse é o seu caso, não tema. Existem alternativas ótimas para quem não quer ou não consegue ficar na balada até às 7h. Nos últimos anos, pipocaram festas à tarde em São Paulo. Algumas começam às 14h ou 15h e terminam bem na hora em que o sono bate. Assim, dá para curtir e dançar sem castigar o corpinho. Confere a nossa lista e se joga!

TODODOMINGO na Casa das Caldeiras

Divulgação
Festa Calefação Tropicaos na Casa das Caldeiras Imagem: Divulgação
Essa é uma dica que vale por várias. O projeto TODODOMINGO da Casa das Caldeiras recebe diversos tipos de eventos e festas desde 2016, sempre aos domingos entre 15h e 22h. O próprio espaço já é uma atração por si só e faz parte da história da cidade: é uma antiga fábrica de alvenaria de tijolos construída em 1920 e tombada em 1986. Além das três chaminés com mais de 30 metros de altura, o lugar tem jardins, túneis e salões que comportam cerca de 1.200 pessoas. Já passaram por lá festas bem conhecidas, como Calefação Tropicaos, Sexta Básica e Pilantragi, além de festivais culturais como P.I.B. e C.R.I.A. Vale acompanhar a agenda pela página do projeto no Facebook ou pelo site da Casa das Caldeiras.

Vai lá:
Casa das Caldeiras - Av. Francisco Matarazzo, 2000, Água Branca, São Paulo.
Mais informações no Facebook.

Soul.set

A Soul.set é uma das festas vespertinas mais antigas da cidade. Já foram mais de 50 edições desde 2011, com uma proposta musical ligada à house music, soul, funk, disco, além de ritmos afro, latinos e étnicos em geral. Em 2018, o projeto fez poucas festas, mas encerrou o ano em grande estilo Nos Trilhos, um espaço cultural que preserva trens centenários e trilhos da ferrovia de São Paulo. A agenda é divulgada na página da festa no Facebook.

Vai lá:
Locais variados.
Mais informações no Facebook

Sábado DRE Tarde

Divulgação
A DRE tarde começa às 15h, mas sempre segue noite a dentro. Imagem: Divulgação
Há três anos, o DJ de Deep House Dre Guazzelli fez uma festa no quintal da casa de um amigo durante o pôr-do-sol de um sábado. O que começou com a intenção de tocar para os chegados se transformou em uma grande festa vespertina, que agora acontece em diferentes espaços da cidade. Os eventos têm foodtrucks, performances e pinturas corporais. Apesar de começar às 15h, sempre segue noite adentro. Como não tem lugar fixo, é preciso ficar de olho nos eventos de cada edição no Facebook, organizados pelo Dre Guazzelli e pela INNER Enterprises.

Vai lá:
Locais variados.
Mais informações no Facebook: Dre Guazzelli e INNER Enterprises.

SunDaze

Inspirado por uma festa que conheceu em Londres quando morou por lá, o DJ e publicitário Maurício Gatto criou a SunDaze há sete anos. A festa de música eletrônica é sempre de domingo à tarde na Casa 92, em Pinheiros, mas também já teve edição em outros lugares, como o Terrazza Rooftop, que fica no Real Parque. Começa sempre às 16h e costuma encher mais tarde.

Vai lá:
Rua Cristóvão Gonçalves, 92, Pinheiros, São Paulo.
Mais informações no Facebook

Samba do Sol

Divulgação
A maioria das edições do Samba do Sol acontece durante o dia e é gratuita Imagem: Divulgação
Um sambinha de domingo à tarde é uma boa tradição para quem quer curtir o dia. O Samba do Sol foi criado há quatro anos justamente para preservar esse costume bem brasileiro. O objetivo é resgatar o samba de raiz na cidade, a cultura do vinil e os coletivos de música brasileira. A maioria das edições acontece durante o dia e é gratuita, mas vez ou outra rola também à noite. Sempre tem roda de samba, chorinho e discotecagem. O projeto é itinerante e a última edição de 2018 foi na Cinemateca Brasileira, com show do renomado grupo Os Originais do Samba.

Vai lá:
Locais variados.
Mais informações no Facebook

Mais Cultura e lazer