menu
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.


Cultura e lazer

Cinco bares com tradição em vender barato em São Paulo

Mario Rodrigues/Divulgação
Bar Léo - Mista do Alemão Imagem: Mario Rodrigues/Divulgação

Lorena Amado

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

2019-05-17T11:10:48

17/05/2019 11h10

Se você andava usando o extrato bancário como desculpa para desmarcar os encontros com os amigos, pode aproveitar que há uma luz no fim do túnel. Cerveja gelada, petiscos para todos os gostos e até uma televisão passando um bom clássico dos gramados (para quem é do futebol) são algumas das vantagens dos botecos tradicionais de São Paulo.

Sempre com uma boa história para contar - há bares que estão em funcionamento desde os anos 1940 -, esses lugares se recusam a ceder à crise financeira e a aumentar o preço nos cardápios. Eles são o que se pode chamar de "tradicionais em vender barato". E acredite: entre bolovos e outras delícias fritas servidas a preço justo, todos se salvam.

Bar do Luiz Fernandes

O bolinho de carne foi o responsável por elevar a vendinha da família do Luiz a bar, lá em 1970. Hoje, além da mulher, Idalina, como braço direito, Luiz tem o filho e duas netas trabalhando atrás do balcão das três unidades do bar, todas na Zona Norte da capital. De lá só saem para participarem de eventos, como o Urban Taste Cultura de Boteco que acontece nesse fim de semana no Museu da Casa Brasileira. Levando a sério o título de "Boteco Raiz" o cardápio vai além dos bolinhos (R$ 3, o pequeno, e R$ 6, o grande) com vários clássicos da culinária de boteco: coxinha (R$ 6), empadinha (R$ 6) e torresmo (R$ 6), tudo feito artesanalmente. Para acompanhar, o cliente pode ir de cerveja (a partir de R$ 13, a garrafa) ou chope (R$ 10).

Vai lá:

Rua Augusto Tolle, 610, Mandaqui, São Paulo.
Terça a sexta, das 16h às 24h.
Sábado, das 11h às 20h30.
Domingo, das 11h às 18h30.
Telefone: (11) 2976-3556

Veja também:

ova geração de botecos recupera ambientes modestos e drinques clássicos... - Veja mais em https://urbantaste.uol.com.br/noticias/redacao/2019/05/15/nova-geracao-de-botecos-recupera-ambientes-modestos-e-drinques-classicos.htm?cmpid=copiaecola

Nova geração de botecos recupera ambientes modestos e drinques clássicos
Kafta, o prato persa que conquistou o mundo
Quando as pessoas ditam o ritmo da cidade

Botequim do Hugo

Os pastéis da dona Zizi são conhecidos no Itaim Bibi. Aparecem nas versões carne, queijo ou palmito (R$ 7) desde 1986, quando o antigo Empório Cabral foi transformado no Botequim do Hugo. No coração do bairro e ao lado de casas requintadas, o português Marcelino Cabral abriu o empório, que tocou por anos com os filhos. Décadas mais tarde, os netos Hugo e Emiliana fizeram da herança um bar, com pastel, o tradicional buraco quente (R$ 10) e cerveja gelada (a partir de R$ 12) para dar e vender - ou melhor, só para vender.

Vai lá:

Rua Pedroso Alvarenga, 1014, Itaim Bibi, São Paulo.
Segunda a sexta, das 16h às 22h.
Telefone: (11) 3079-6090

Bar do Luiz Nozoie

No começo, lá em 1962, o bar do Luiz Nozoie não era só um bar. Além das cervejas geladas, outros carros-chefes do local eram os sorvetes e os doces. Daquele tempo, os donos guardaram uma máquina de sorvete, que ajuda a deixar a cerveja (a partir de R$ 14) trincando. O bar serve ainda batidinhas, como a de amendoim com licor de cacau (R$ 12), que podem ser acompanhadas por espetinhos de camarão (R$ 5). Experimente também os pasteizinhos de carne, queijo e camarão com catupiry (R$ 3).

Vai lá

Avenida do Cursino, 1210, Saúde, São Paulo.
Segunda a sexta, das 18h às 23h.
Sábado, das 12h às 19h.
Telefone: (11) 5061-4554

Bar Léo

Só por ter a história do lugar no cardápio, o Bar Léo já mereceria a visita. Diz-se que foi fundado em 1940 por "um alemão de nome impronunciável", o que deu ao boteco o nome de Bar do Alemão. Poucos anos depois, foi vendido ao Leopoldo e rebatizado com o nome que carrega até hoje e conta três unidades (duas em São Paulo e uma no Rio de Janeiro). Para brindar tanta longevidade, a casa serve chope claro (R$ 9,20) e escuro (R$ 11,50), além de petiscos que misturam o Brasil com a Alemanha, como o caldinho de feijão com torresmo (R$ 14) e a porção de salsicha à moda alemã (R$ 29).

Vai lá:

Rua Aurora, 100, Santa Ifigênia, São Paulo.
Segunda, das 11h às 20h.
Terça a sexta, das 11h às 21h.
Sábado, das 10h às 18h.
Telefone: (11) 3221-0247

Bar Dois Irmãos

Ponto de encontro de amantes de chope, o bar é conhecido como a primeira choperia de São Paulo. Foi fundado em 1958 por dois irmãos portugueses, Manuel e José, e daí vem o nome do lugar. Além do chope claro (R$ 8,50), a casa também tem opções de cerveja (a partir de R$ 15). Como tira-gosto, a porção de bolinho de mandioca e camarão (R$ 24, com oito unidades) é a campeã de vendas.

Vai lá:

Rua Demóstenes, 55, Campo Belo, São Paulo
Terça a sexta, 17h às 24h.
Sábado, 12h às 24h.
Domingo, 13h às 23h30.
Telefone: (11) 5093-1927

Mais Cultura e lazer