Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.


Cultura e lazer

Cervejarias artesanais invadem Belo Horizonte, e é só o começo

Victor Schwaner/Divulgação
Uma das cervejas artesanais do Bar Protótipo Imagem: Victor Schwaner/Divulgação

Rafael Campos

Colaboração para o Urban Taste, em Belo Horizonte

2019-06-10T16:54:33

10/06/2019 16h54

Pode-se afirmar também que estabelecimentos e clientes belo-horizontinos alcançaram um novo patamar em relação à cerveja nos últimos anos. Foi-se o tempo em que a única preocupação dos bebedores profissionais era a temperatura estupidamente gelada. Hoje, o desejo é o de desbravar estilos dos mais diferentes da união entre água, malte e lúpulo. A culpa dessa mudança é do boom de cervejarias artesanais que brotaram em BH e região metropolitana - gerando até o apelido de "Bélgica Mineira". Seguindo as fábricas, boas opções de estabelecimentos para apreciar uma legítima cerveja artesanal passaram a pipocar pela cidade.

Veja também:

Esses cursos em SP vão te ajudar a preparar seu café da manhã orgânico
Bares para experimentar cervejas sour nacionais em São Paulo
Santa Maria, a releitura do drinque Bloody Mary

"No início, calculamos que seriam necessários pelo menos 15 clientes para pagar as contas, só que veio muito mais", afirma Marcelo Machado da Silva, um dos quatro sócios do bar Juramento 202, da Cervejaria Viela. O imóvel, localizado no bairro Pompéia, pertencia a uma oficina de motos e ganhou ares de armazém antigo, daqueles onde se vendiam de tudo. Para acompanhar os goles, tem de biscoito pimentinha à tábua de frios e sanduíches. No local, não há cozinha, e uma vitrola se encarrega do som ambiente. Além das cervejas da casa, retiradas das torneiras de chope, os clientes podem degustar outras marcas parceiras, todas locais. O preço da cerveja varia de acordo com o tamanho do copo R$ 7 (350 ml) e R$ 5 (280 ml). "Nossa ideia era abrir um espaço para democratizar o acesso às cervejas artesanais", diz Marcelo. Democratizou tanto que o imóvel ficou pequeno e os sócios tiveram que criar políticas de boa vizinhança. "Não vamos embora sem antes limpar a rua".

O bar Protótipo, no bairro de Santa Tereza, conhecido por sua boemia, também vem atraindo grande e fiel público. Recentemente, para dar conta de tanta gente, o estabelecimento foi ampliado. De três torneiras de chope, o lugar passou a oferecer 18. São mais de 100 rótulos de cervejas especiais brasileiras e importadas. Santé é o nome da cerveja da casa, com três variações de IPA's, que são produzidas na fábrica de uma cervejaria parceira. O cardápio oferece boas opções. Mas o rango que tem mais saída é o fish and chips à mineira. "Usamos tirinhas de tilápia empanadas no fubá", diz Lucas Zacharias, sócio do Protótipo.

Victor Schwaner/Divulgação
Imagem: Victor Schwaner/Divulgação

A paixão pela cerveja artesanal levou Reinaldo Barros a ser o cervejeiro do bar Querida Jacinta, aberto em 2018, um misto de cervejaria, restaurante e balada, uma espécie de ode ao lúpulo. As cervejas da casa, no estilo Amber Lager e IPA são produzidas no modo cigano, ou seja, alugando o espaço de outra fábrica, no caso, da Ouropretana. "Comecei a fazer cerveja em casa, no velho estilo da panelinha no fogão", diz.

Imersão cervejeira

No Templo Cervejeiro da Backer, os clientes podem degustar os pelo menos 21 rótulos da marca e, de quebra, visitar o parque cervejeiro, conhecendo mais sobre a produção do líquido precioso. Esse passeio, mediante agendamento, é guiado por Paula Lebbos, sócia da cervejaria, que este ano completa duas décadas de história. Paula "vive e respira Backer" como gosta de dizer. Além de gerenciar o lugar e cuidar do marketing da marca, Lebbos não deixa nenhum lançamento passar batido. "Experimento tudo e até participo da escolha das frutas que vão fazer parte das receitas", diz. É o que acontece com a produção da Julieta, rótulo de uma belgian fruit beer da marca. Perto dali, a Wals que foi adquirida pelo grupo Ambev, em 2015, também marca presença com o seu Ateliê Wals, onde os clientes também podem fazer o percurso entre os tonéis cervejeiros.

Rodrigo Ferraz, diretor do Albano's, imerso no mundo cervejeiro desde a década de 1990, também quer levar o lúpulo para mais pessoas. "Entendo sobre produzir cerveja, mas não produzo. Minha causa é ajudar a disseminar essa cultura", diz. A empresa, ano passado, passou por uma remodelação. Seu conhecido e premiado chope ganhou estilos diferentes e o Albanos virou plataforma cervejeira, que oferece cursos e possibilidade dos clientes produzirem sua própria receita em um dos bares.

Expansão

Cervejarias projetam aumentar suas fábricas e novos bares devem surgir na cena da capital dos botecos. É o caso da Capapreta, que tem fábrica em Nova Lima, na região metropolitana de BH, e planeja este ano abrir a terceira Tap House da marca, na Savassi. "Comecei a fazer cerveja no sítio do meu pai, em 2013. Não tinha grandes pretensões, mas a coisa foi crescendo e caiu no gosto da galera", diz o arquiteto Lucas Godinho, sócio fundador da Capapreta.

A Sátira inaugurou recentemente dois bares, sendo um deles na esplanada do estádio do Mineirão. Lá, é possível saborear os seus seis estilos (Lager, American Wheat, English Pale Ale, IPA, Double IPA e Brown Ale), em 12 torneiras, além de outros rótulos. No outro bar, no Vila da Serra, em Nova Lima, ponto limítrofe com Belo Horizonte, a cervejaria oferece drinques à base de suas cervejas.

Vai lá:

Bar Juramento 202

Rua Juramento, 202 - Pompéia
Terça a sexta, das 18h à 0h
Sábado, das 14h às 0h
Domingo, das 13h às 20h
Mais informações no Instagram.

Templo Cervejeiro Backer

Rua Santa Rita, 220 - Olhos D'Água
Terça, das 11h30 às 15h
Quarta e quinta, das 11h30 às 15h30 e 18h à 0h
Sexta e sábado, das 11h30 à 1h
Domingo, das 11h30 às 16h
Mais informações no Instagram.


Ateliê Wals

Rua Gabriela de Melo, 566 - Olhos D'Água
Terça a quinta, das 17h à 0h
Sexta, das 17h à 1h
Sábado, das 12h à 1h
Domingo, das 12h às 19h
Mais informações no Instagram.

Tap House Capapreta


Alameda Oscar Niemeyer, 975 - Vila da Serra
Terça a sábado, das 12h à 0h (a cozinha funciona de terça à sexta, a partir das 17h)
Domingo, das 12h às 20h
Mais informações no Instagram.

Protótipo

Rua Professor Galba Veloso, 206, 2º andar - Santa Tereza
Segunda a quinta, das 18h às 23h30
Sexta, das 18h à 1h
Sábado, das 16h à 1h
Domingo, das 16h às 23h
Mais informações no Instagram.

Albanos Hub Cervejeiro


Rua Pium-í, 611, bairro Sion
Terça a sexta, das 17h à 0h
Sábado, das 12h à 0h
Domingo, das 12h às 17h
Mais informações no Facebook.

Cervejaria Sátira

Alameda Oscar Niemeyer, 1369, loja 45 - Vila da Serra
Terça a quinta-feira: 17h às 23h
Sexta, das 12h às 23h
Sábado, das 11h às 23h
Domingo, das 11h às 20h
Mais informações no Instagram.

Querida Jacinta

Rua Grão Pará, 185, bairro Santa Efigênia
Terça a sexta-feira. Das 11h às 15h e das 18h à 1h
Sábado, das 12h à 1h
Domingo, das 12h às 17h
Mais informações o Instagram.

Mais Cultura e lazer