Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.


Cultura e lazer

BMX brasileiro agora é esporte Olímpico, mas ainda precisa de incentivo

Sté Medeiros

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

2019-06-14T14:02:31

14/06/2019 14h02

O BMX é um dos esportes extremos que entrou na competição Olímpica, assim como o skate, surf e montanhismo. Para entender um pouco como anda a cena nacional, o Urban Taste conversou com Cauan Madona e Mikeila Pelayes, atletas que estão movimentando o rolê dos riders em São Paulo e deram dicas para quem quer começar a praticar o esporte.

"Venho observando que o BMX tem crescido muito no Brasil. Dia após dia vejo muitas crianças e adultos começando a praticar o BMX e várias marcas e empresas acreditando e apoiando o esporte.", explica Madona, que vai competir no Japão em 2020, é patrocinado pela Vans e um dos embaixadores da marca para a modalidade no Brasil.

Veja também:
Costurando momentos: o renascimento do bordado em tempos tecnológicos
"A Doidera é Isso", o divertido e intenso coquetel do Ambar
Dante e Astor, NY e SP

Para Mika, atleta na ponte aérea Buenos Aires - São Paulo, o processo tem sido mais lento para as mulheres. "É mais difícil pelo fato de ser um esporte mais agressivo, pelas meninas acharem que não têm tanta força para fazer as manobras e que o esporte é só para homens. Mas, recentemente, com o BMX freestyle nas Olimpíadas, a visão sobre mulheres praticarem este esporte tem mudado, inclusive marcas e campeonatos estão valorizando mais as riders."

Ambos concordão que ainda falta um grande incentivo para o esporte decolar no Brasil. "Faltam mais eventos, campeonatos, federações, projetos sociais, mídia e pessoas que estão dispostas a brigar com unhas e dentes pelo esporte. Quem sabe até mesmo um medalhista possa fazer com que o esporte decole."

Para quem quer começar, ele dá a dica: "Se você quer se tornar um atleta profissional, o primeiro passo de tudo é você amar aquilo que você faz. Se você se dedicar muito e treinar mais ainda, você será um atleta profissional. Se eu falar que é fácil, é mentira. Mas, tudo que vem fácil, vai fácil. Você vai enfrentar um longo caminho, mas vai que vai! Do mesmo jeito que eu me tornei um profissional, qualquer um pode. Mika completa com: "Tem que se jogar, se divertir e ter paciência e dedicação que a evolução chega."

Entre os bikers brasileiros para acompanhar, ele diz ter sido influenciado por Douglas Leite "Doguete", Anderson Queiroz "Dand", Matheus Oliveira "Wind" e José Wilton de Oliveira "DRAC". "Esses caras me apoiaram e me ajudaram muito pra eu poder seguir andando de bike e estar aqui hoje."

Preconceito ainda é uma barreira para as mulheres

Para Mika, uma das atletas que mais se destaca é Hannah Roberts. "É uma menina americana de 16 anos que vem ganhando quase tudo e levando ao extremo o nível do BMX feminino. No cenário nacional, vale acompanhar a Derlayne Dias, de Brasília, é a primeira e atual campeã brasileira."

Mika teve uma de suas fotos apresentadas na exposição "No Limite da Ação", que rolou recentemente no Sesc Belenzinho. "Nossa, nem acreditei quando vi minhas fotos nessa exposição. Foi uma honra, além de compartilhar uma exposição com grandes nomes da fotografia brasileira dos esportes extremos, a Érika Sallum (curadora da exposição) deu ênfase em reconhecer as mulheres que estão atrás das câmeras e achei muito legal. É difícil, às vezes, ter esse reconhecimento. Existe sim o preconceito pelo fato de ser mina, tem gente que não bota fé, mas aos pouco isso está mudando."

BMX x Skate

São Paulo tem diversas opções de pistas novas que incluem opção para riders. Mas, ainda assim, é fácil perceber a rixa quando elas precisam ser divididas. Existe alguma regra de etiqueta? "O melhor caminho seria as duas modalidades terem respeito uma pela outra, a união faz a força. Hoje em dia já não tem mais tanta rivalidade entre os skatistas e os Bmxers. Eu tenho muitos amigos skatistas que conheci dentro das pistas."

Vai lá:

Centro de Esportes Radicais "José Wilton de Oliveira Drac"
Av. Pres. Castelo Branco, 5700 - Bom Retiro - São Paulo - SP

Parque Cidade-Escola da Juventude Città Di Marostica
Av. Armando Ítalo Setti, 65 - Baeta Neves, São Bernardo do Campo - SP

Vans Skatepark São Paulo
Av. Queiroz Filho, 1365 - Vila Hamburguesa, São Paulo - SP

Bowl do Pavilhão - São José dos Campos
Rua Aurora Pinto da Cunha, 131 - Jardim America, São José dos Campos

Mais Cultura e lazer