menu
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.

Dias gratuitos e outras dicas: como aproveitar o melhor dos museus de SP

Eduardo Ortega / Divulgação
MASP Imagem: Eduardo Ortega / Divulgação

Lígia Nogueira

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

09/10/2018 04h00

São Paulo pode não ter praia, mas sua vida cultural é rica o bastante para garantir diversão para todos. Tanto que vários museus da cidade quebraram os próprios recordes de público nos últimos anos, graças a exposições com apelo suficiente para esgotar ingressos e formar longas filas de espera.

Em 2014, por exemplo, o Museu da Imagem e do Som (MIS) trouxe a exposição "David Bowie" à capital paulista e bateu a marca de 80 mil visitantes. Já o Tomie Ohtake atraiu mais de 520 mil pessoas à mostra "Yayoi Kusama: Obsessão Infinita". No ano seguinte, o MASP, por sua vez, recebeu 170 mil interessados em "Triunfo da Cor: Pós-impressionismo".

Não é pouca coisa. Para aproveitar o melhor dos museus da capital em qualquer época, além de evitar os últimos dias das mostras, que costumam ser os mais concorridos, vale ficar atento às datas em que a entrada é gratuita. Visitar o acervo permanente dos espaços culturais é também uma maneira interessante de usufruir cada um deles, conforme ressalta Emanoel Araujo, diretor-curador do Museu Afro Brasil, no Parque do Ibirapuera. "É imperdível visitar a nossa exposição de longa duração", diz, referindo-se à coleção com cerca de 7 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas.

Confira a seguir algumas dicas de quando visitar e o que ver nos principais museus da capital paulista.

Museu da Imagem e do Som (MIS)

Divulgação
Imagem: Divulgação

Os horários e valores do MIS variam conforme o evento e o dia da semana, mas pode confiar que às terças-feiras o ingresso é sempre gratuito. Quartas e quintas são os dias mais tranquilos, segundo representantes do museu. No caso da mega exposição "Hitchcock – Bastidores do suspense", em cartaz até 21 outubro, os últimos horários de entrada são 20h (terça a sexta) e 18h (domingos e feriados), justamente para que o visitante aprecie a mostra com tranquilidade. Para facilitar a experiência, a instituição também costuma disponibilizar ingressos antecipados, com hora marcada, para os primeiros dias de visitação.

Vai lá:
Avenida Europa, 158, Jardim Europa
Terça a sábado, das 10h às 22h.
Domingo e feriados, das 9h às 20h.
R$ 12 (grátis às terças)
Estações de metrô mais próximas: Metrô Consolação (linha verde), metrô Faria Lima e Fradique Coutinho (linha amarela) .
Ingressos na internet. 
Telefone: (11) 2117-4777

Instituto Moreira Salles Paulista (IMS)

Pedro Vannucchi / Instituto Moreira Salles
Imagem: Pedro Vannucchi / Instituto Moreira Salles

As exposições são sempre o que mais chama atenção em espaços culturais como o IMS. No entanto, o curador de programação e eventos Lorenzo  Mammì sugere uma visita à biblioteca, no 1º andar do edifício. "É a primeira da cidade e, talvez, do Brasil especializada em fotografia. Boa parte dos livros é imediatamente acessível, e o usuário pode pegá-los diretamente na estante", diz. Entre as mesas de consulta, há um lugar para pequenas exposições temáticas de livros fotográficos. "Pela importância que os livros têm, como meio de criação e difusão da fotografia, pode-se dizer que a biblioteca, somada às três galerias, é nosso quarto espaço expositivo." O balcão logo após a escada rolante fica bem concorrido por pessoas tirando fotografias da Avenida Paulista.

Vai lá:
Avenida Paulista, 2424, Consolação
Terça a domingo (exceto quintas), das 10h às 20h.
Quinta, das 10h às 22h (última admissão 30 minutos antes do horário de encerramento).
Entrada gratuita para o centro cultural e exposições. Verificar preço de outras atividades.
Estações de metrô mais próximas: Metrô Consolação (linha verde) e metrô Paulista (linha amarela)
Telefone: (11) 2842-9120

Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)

Ignacio Aronovich / Divulgação
Imagem: Ignacio Aronovich / Divulgação

Encravado no centro histórico de São Paulo, o Centro Cultural Banco do Brasil funciona sempre das 9h às 21h, sendo que os dias mais cheios costumam ser quinta e sábado. Para ver exposições com mais tranquilidade, vale visitar o espaço aos domingos e às segundas, já que, diferentemente da maioria dos equipamentos culturais, o CCBB fica aberto nesse dia e fecha às terças. A equipe do museu sugere evitar a hora do almoço (12h às 14h) para ter a melhor experiência. "Aproveite para explorar os seis andares do edifício, incluindo o subsolo, que abriga o antigo cofre da instituição financeira", diz Sueli Voltarelli, gerente geral do CCBB SP. Fabricado na França no início do século passado, ele era usado para a guarda de títulos e bens privados e tem interior e portas totalmente preservados.

Vai lá:
Rua Álvares Penteado, 112, Centro
Quarta a segunda, das 9h às 21 horas.
Entrada gratuita.
Estações de metrô mais próximas: Metrô Sé (linha vermelha) e metrô São Bento (linha azul). Ônibus - próximo ao terminal Bandeira.
Telefone: (11) 3113-3651

Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP)

Projetado por Lina Bo Bardi (1914-1992), o MASP chama atenção pela imponente arquitetura. Seu vão livre é palco do projeto Música no Vão (toda primeira quinta-feira de cada mês), que traz ao espaço shows, discotecagem e lounge, acompanhados de comes e bebes. Nos dias de evento, a partir das 18h, a entrada é gratuita e se estende até as 22h. O próximo está marcado para 18 de outubro, com a dupla Craca e Dani Nega, às 20h. Fora isso, o Acervo em Transformação apresenta algumas particularidades em relação a outras exposições permanentes de museus, segundo Olivia Ardui, assistente curatorial do MASP. "A disposição das obras em fileiras em uma sala aberta e sem paredes, suspensas nos cavaletes de cristal concebidos por Lina Bo Bardi, permite ao espectador ter uma visão simultânea de diferentes obras e escolher o seu próprio percurso entre elas", diz. "Por outro lado, como o nome indica, a seleção das obras está sujeita a modificações periódicas, dando a possibilidade do visitante (re)descobrir, a cada visita, obras diferentes do acervo do MASP."

Vai lá:
Avenida Paulista, 1578, Bela Vista
Quarta a domingo, das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30).
Terça, das 10h às 20h (bilheteria até 19h30).
R$ 35 (entrada) e R$ 17 (meia-entrada). Entrada gratuita às terças.
Estação de metrô mais próxima: Metrô Trianon-Masp (linha verde).
Ingressos na internet.
Telefone: (11) 3149-5959

Instituto Tomie Ohtake

Rafael Roncato/UOL
Imagem: Rafael Roncato/UOL

O espaço cultural tem entrada gratuita todos os dias, e os ingressos são cobrados apenas para algumas mostras pontuais. Por isso, convém sempre checar online a agenda de exposições e eventos, que incluem palestras, oficinas, debates e cursos. "Além da programação, o Instituto é um espaço gratuito, acessível por ônibus e metrô [estação Faria Lima] e que permite o cruzamento e o convívio entre os públicos de suas atividades", diz o curador da instituição, Paulo Miyada. Segundo ele, a mostra "AI-5 50 anos - Ainda não terminou de acabar", em cartaz até 4 de novembro, é "vital para a reflexão sobre nossa história e sobre os desafios que vivemos atualmente."

Vai lá:
Avenida Faria Lima, 201, Complexo Aché Cultural (entrada pela Rua Coropés, 88), Pinheiros
Terça a domingo, das 11h às 20h.
Entrada gratuita para o centro cultural. Verificar preço de outras atividades.
Estação de metrô mais próxima: Metrô Faria Lima (linha amarela).
Telefone: (11) 2245 1900

Pinacoteca

Divulgação
Imagem: Divulgação

Fundado em 1905, o museu mais antigo de São Paulo abriga, em seu acervo permanente, obras de importantes artistas como Almeida Ju?nior, Pedro Alexandrino, Anto?nio Parreiras e Oscar Pereira da Silva. Vale aproveitar a entrada gratuita, aos sábados, para fazer um passeio demorado, prestando atenção aos detalhes da arquitetura do prédio, reformado nos anos 1990 pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha. A visita pela Pina, como passou a ser chamada, pode ser combinada com uma volta pela Pina Estação e pelo Parque da Luz, ambos com entrada gratuita todos os dias.

Vai lá:
Praça da Luz, 2, Bom Retiro
Quarta a segunda, das 10h às 17h30 (permanência até as 18h).
R$ 6 e R$ 3 (meia-entrada). Entrada gratuita aos sábados.
Estação de metrô mais próxima: Metrô Luz (linha azul / linha amarela).
Telefone: (11) 3324-1000

Itaú Cultural

Edouard Fraipont / Divulgação
Imagem: Edouard Fraipont / Divulgação

Cenário de shows e mostras interativas, o Itaú Cultural tem entrada gratuita todos os dias. Além de exposições da série "Ocupação" – como a dedicada ao arquiteto Paulo Mendes da Rocha, em cartaz até 4 de novembro –, o espaço tem seu acervo em exibição permanente no Espaço Olavo Setubal. "As gravuras, pinturas, esculturas e outros objetos permitem uma viagem pela história do Brasil", destaca Carlos Costa, coordenador de comunicação da instituição. A entrada tem uma monumental escada em caracol e altas paredes cobertas de desenhos da fauna e flora da época do descobrimento. "O passeio continua como se fosse por um livro aberto, de onde saltam imagens e memórias", explica.

Vai lá:
Avenida Paulista, 149, Bela Vista
Terça a sexta, das 9h às 20h (permanência até as 20h30).
Sábado, domingo e feriados, das 11h às 20h.
Entrada gratuita.
Estação de metrô mais próxima: Metrô Brigadeiro (linha verde).
Telefone: (11) 2168-1777

Museu Afro Brasil

Nelson Kon / Divulgação
Imagem: Nelson Kon / Divulgação

O fato de estar dentro do Parque do Ibirapuera, em meio aos pássaros e ao verde, já é motivo suficiente para visitar o Museu Afro Brasil, que tem entrada gratuita aos sábados. Além das exposições temporárias, Emanoel Araujo, diretor-curador da instituição, recomenda uma visita à exposição de longa duração, que explora o acervo museu dividida em seis núcleos: África: Diversidade e Permanência, Trabalho e Escravidão, As Religiões Afro-Brasileiras, O Sagrado e o Profano, História e Memória e Artes Plásticas: a Mão Afro Brasileira. "Aqui o visitante pode conhecer mais sobre a história do nosso país", diz.

Vai lá:
Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n, Parque do Ibirapuera, Portão 10
Terça a domingo, das 10h às 17h (permanência até às 18h).
R$ 6 e R$ 3 (meia-entrada). Entrada gratuita aos sábados.
Como chegar: Ônibus - Terminal Ana Rosa.
Telefone: (11) 3320-8900

Veja também:

Mais Cultura e lazer